terça-feira, 31 de janeiro de 2012

HOJE É DIA DE CLÁSSICOS DO SAMBA EM VITÓRIA

Grupo Ilha. Foto: Divulgação

Quem disse que terça-feira não é dia rock? Ou melhor, quem disse que terça-feira não é dia de samba? Aproveitando o verão e as férias Vitória terá hoje, a partir das 20:30hs, um super show do grupo de samba Ilha. O repertório? O melhor dos artistas clássicos do samba.

No show que acontecerá no Ensaio Botequim (sugestivo nome não é?) na Praia do Canto o Grupo Ilha tocará o melhor de artistas como João Nogueira, Paulinho da Viola e João Bosco. Com certeza não dá para perder.

Ensaio Botequim.
Rua Joaquim Lírio, 778,
Praia do Canto, Vitória.
Couvert: R$ 6.
Informações: (27) 3347-1522

OFES DIVULGA CALENDÁRIO DA TEMPORADA 2012


A temporada 2012 da Orquestra Filarmônica do Espírito Santo (Ofes) será marcada pela conjunção de obras significativas da literatura orquestral com a participação de maestros e solistas de alto nível. A programação dará continuidade ao que foi mostrado nas últimas cinco temporadas, quando, ao lado de destacados solistas e maestros convidados, foram apresentadas obras-primas dos principais compositores de música clássica, dos séculos XVIII ao XX.

Entre os nomes convidados para compor a temporada destacam-se os violinistas Nicolas Koeckert, Carmelo de Los Santos e Daniel Guedes, a violonista croata Ana Vidovic e os pianistas Pablo Rossi e Hugues Lèclere. Destaque também para os maestros Isaac Karabchevsky, Luiz Fernando Malheiro, Roberto Tibiriça e Roberto Duarte, nomes de ponta na regência nacional.

Uma grande novidade deste ano são os concertos temáticos, como "O novo nacionalismo", que apresenta obras de compositores que expressaram a cultura e as tradições das suas regiões e dos seus países nas suas músicas, "Viva España!", programa composto por obras relacionadas à música e à dança espanhola e "Grandes Momentos da Música Russa", que apresenta um panorama com obras marcantes dessa importante escola de composição.

Outra novidade será a apresentação de obras pouco tocadas no Brasil, como a Sinfonia Cotswolds, de Gustav Holst, o Concerto para violino n.º 2, de Max Bruch, a Rapsódia Oriental, de Alexander Glazunov, e a abertura concertante In the South, de Edward Elgar.

A temporada conjugará ainda obras do porte da Sinfonia n.º 2, do finlandês Jean Sibelius, e dos Choros 10, de Heitor Villa-Lobos, com grandes aberturas e coros de óperas italianas e também com trilhas imortais do cinema. Uma composição, criada especialmente para a Ofes, homenageará o escritor capixaba Rubem Braga.

Para abrir a temporada, um programa diferente: "A Música Clássica e o Carnaval", que associará grandes clássicos que se inspiraram nesse tema, como o Carnaval Romano, de Hector Berlioz, e o Carnaval de Veneza, de Jean-Baptiste Arban, ao saboroso Mambo, de Leonard Bernstein, e à Sinfonietta Seconda, intitulada Carnevale, do brasileiro Ernani Aguiar, que congrega a linguagem clássica com o samba, o frevo e a escola de samba.

E para fechar o ano, a cantata Carmina Burana, uma das obras mais conhecidas e populares do repertório sinfônico-coral, que ganhará a primeira apresentação em terras capixabas.

A Ofes continuará apresentando ainda as duas séries de concertos que marcam as suas temporadas: a Série "A Orquestra nas Escolas" e a Série "Espírito Santo", de concertos itinerantes. A primeira série, apresentada nas escolas públicas da Região Metropolitana de Vitória, democratizando o acesso à cultura e promovendo a inclusão social, estará a cargo do novo Maestro Adjunto da Ofes, Leonardo David, talento que desponta como um dos principais jovens regentes do Brasil. A segunda série, a ser apresentada nos municípios de São Mateus, Linhares, Venda Nova do Imigrante, Castelo e Domingos Martins, será dirigida pelo Maestro Titular da Ofes, Helder Trefzger.

PROGRAMAÇÃO


FEVEREIRO

ABERTURA DA TEMPORADA: A MÚSICA CLÁSSICA E O CARNAVAL

(16) SÉRIE CONCERTOS ESPECIAIS
Com obras de Berlioz, Arban, Moncayo, Bernstein, e E. Aguiar.

Solista: PEDRO MOTA, trompete
Regente: Helder Trefzger


MARÇO


A SINFONIA ESCOCESA

(14) SÉRIE QUARTA CLÁSSICA
Obras de Nielsen, W. Gomes, R. Strauss e Mendelssohn

Solista: FABIO PRESGRAVE, violoncelo
Regente: Juan Carlos dos Santos

GRANDES MOMENTOS DA MÚSICA RUSSA

(29) SÉRIE CONCERTOS SINFÔNICOS
Obras de Shostakovich, Prokofiev e Tchaikovsky

Solista: Aleyson Scopel, piano
Regente: Leonardo David


ABRIL


O NOVO NACIONALISMO
(11) SÉRIE QUARTA CLÁSSICA
Obras de Dvorak, Bruch e Mussorgsky

Solista: DANIEL GUEDES, violino
Regente: Guilherme Mannis

DRAMA MUSICAL

(26) SÉRIE CONCERTOS SINFÔNICOS
Obras de Wagner, Reinecke e Glière

Solista: ROGÉRIO WOLF, flauta
Regente: LEONARDO DAVID


MAIO


RAPSÓDIA ORIENTAL

(09) SÉRIE QUARTA CLÁSSICA
Obras de Glazunov

Solista: NICOLAS KOECKERT, violino
Regente: HELDER TREFZGER

DEBUSSY, RAVEL E VILLA-LOBOS

(31) SÉRIE CONCERTOS SINFÔNICOS
Obras de Debussy, Ravel e Villa-Lobos

Solista: HUGUES LÈCLERES (piano)

Participações Especiaisl:
CORO SINFÔNICO DA FAMES (Reg. SANNY SOUZA)
CORO CAMERATA IFES (Reg. HERALDO FILHO)
Regente: ROBERTO DUARTE


JUNHO

HOMENAGEM A RUBEM BRAGA

(13) SÉRIE QUARTA CLÁSSICA
Leitura de Cláudio de Freitas. Obras de André Mehmari e Dvorak

Solista: Fabio Cury, fagote
Regente: Marcos Arakaki

A SINFONIA COTSWOLDS

(28) SÉRIE CONCERTOS SINFÔNICOS
Obras de Bellini, Bruch e Holst

Solista: GABRIELA QUEIROZ, violino
Regente: HELDER TREFZGER


JULHO


BEETHOVEN, O GÊNIO

(11) SÉRIE QUARTA CLÁSSICA
Obras de Beethoven

Solista: ELENISIO BARBOSA (piano)

Participação Especial: CORO SINFÔNICO DA FAMES (Reg. SANNY SOUZA)
Regente: Luiz Fernando Malheiro


FESTIVAL DE INVERNO DE DOMINGOS MARTINS

(20) CONCERTOS ESPECIAIS
Regente: LEONARDO DAVID


AGOSTO


A MÚSICA DAS NAÇÕES

(08) SÉRIE QUARTA CLÁSSICA
Obras de Elgar, Paganini e Sibelius

Solista: CARMELO DE LOS SANTOS, violino
Regente: Marcelo DE JESUS


AIMEZ-VOUS BRAHMS?

(30) SÉRIE CONCERTOS SINFÔNICOS
Obras de Brahms

Solista: PABLO ROSSI, piano
Regente: ROBERTO TIBIRIÇA


SETEMBRO


IN THE SOUTH

(12) SÉRIE QUARTA CLÁSSICA
Obras de Elgar, Reinecke e Elgar

Solista: PAOLA BARON, harpa
Regente: HELDER TREFZGER


GRANDES ABERTURAS ITALIANAS

(27) SÉRIE CONCERTOS SINFÔNICOS
Obras de Verdi, Rossini, Puccini e Leoncavallo

Participação Especial:
CORO CAMERATA IFES (Reg. HERALDO FILHO)
CORO DE CÂMARA DE VITÓRIA (Reg. CLÁUDIO MODESTO)
CORAL ARCELOR MITTAL TUBARÃO (Reg. ADOLFO ALVES).

Regente: LEONARDO DAVID


OUTUBRO


CINEMA ESPECIAL

(10) SÉRIE QUARTA CLÁSSICA
Trilhas sonoras dos filmes: E.T. , Indiana Jones, Star Wars, A Lista de Schindler, O Patriota, Superman, Cinema Paradiso, Amelie, Jurassik Park, O Poderoso Chefão e O Senhor do Anéis.

Solista: DANIEL GUEDES (violino)
Regente: LEONARDO DAVID


VIVA ESPAÑA!

(25) SÉRIE CONCERTOS SINFÔNICOS
Obras de Falla, Rodrigo e Ravel

Solista: ANA VIDOVIC, violão
Regente: HELDER TREFZGER


NOVEMBRO


SCHUBERT E SCHUMANN

(14) SÉRIE QUARTA CLÁSSICA
Obras de Schumann e Schubert

Solista: CRISTINA NARANJO PÉREZ, piano
Regente: EMILIO DE CESAR


CARMINA BURANA

(27,28, 29 e 30/11) SÉRIE CONCERTOS ESPECIAIS
Obra de Orff


Solistas: CARLA DOMINGUES (soprano)
FLÁVIO LEITE (tenor)
LICIO BRUNO (barítono)

Participações especiais: CORO DA FAMES (reg. SANNY SOUZA), CAMERATA IFES (Reg. HERALDO FILHO), CORO DE CÂMERA DE VITÓRIA (Reg. CLÁUDIO MODESTO) e CORO INFANTIL DA FAMES (Reg. PAULO PARAGUASSÚ).

Regentes: HELDER TREFZGER E LEONARDO DAVID



SÉRIE "A ORQUESTRA NAS ESCOLAS"

Apresentações em escolas públicas da Região Metropolitana de Vitória.
Datas: 16 e 17/04; 21 e 22/05; 18, 19 e 20/06; 13, 14, 20 e 21/08; 17 e 18/09; 15, 16, 29 e 30/10.
Obras de: Liadov, Schubert, Strauss, Mancini e J. Williams
Regente: LEONARDO DAVID

SÉRIE ESPÍRITO SANTO (concertos itinerantes)

CIDADES: São Mateus, Linhares, Venda Nova do Imigrante, Castelo e Domingos Martins.
Datas: 17/05, 20/07, 16/08, 01/11 e 06/12
Obras de: Rossini, Mozart, Tchaikovsky, Vivaldi, Mendelssohn, J. Williams e F. Morais
Solistas: DANIEL GUEDES, violino e EDUARDO GONÇALVES, clarinete
Regente: HELDER TREFZGER

GOSPEL: BANDA CIRUS HOJE NA PRAIA DE CAMBURI


Nesta terça-feira (31), a tenda Vitória Verão 2012, localizada na praia de Camburi, quase em frente ao Banco do Brasil, recebe o Vinde Vede com a banda Cirus, a partir das 19 horas. O show é uma realização da Renovação Carismática Católica de Vitória e tem como foco os jovens.

A banda Cirus, que surgiu em 1997 na cidade de Cariacica, dentro do movimento da Renovação Carismática da Igreja Católica, possui como objetivo levar uma mensagem cristã de esperança, fé e amor e já mostrou o seu trabalho em outros Estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Minas Gerais.

Vitória Verão 2012: Vinde Vede com a banda Cirus em Camburi

Quando: terça-feira (31)
Onde: na tenda Vitória Verão 2012, localizada na praia de Camburi, quase em frente ao Banco do Brasil.
Horário: 19 horas

ESTAÇÃO PORTO: LANÇAMENTO DE CD COLETÂNEA DE MARCHINHAS


Às vésperas do desfile do carnaval de Vitória, a Secretaria Municipal de Cultura lança o CD coletânea do Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas Cidade de Vitória - Prêmio Sérgio Sampaio.

O evento será nesta terça-feira (31), a partir das 19h30, na Estação Porto. A atração da noite será o Bloco Bleque numa apresentação especial com marchinhas carnavalescas. Os vencedores, que estão no CD, farão participações especiais no show.

Lançamento do CD coletânea do Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas Cidade de Vitória - Prêmio Sérgio Sampaio

Atração: Bloco Bleque Especial Marchinhas e participações especiais
Quando: 31 de janeiro, a partir das 19h30
Onde: Estação Porto. Armazém 5 da Codesa. Avenida Getúlio Vargas, Centro.
Mais informações: 3132-4460
Entrada gratuita.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

BAILE PARA A ETERNA EMILINHA BORBA

Maria Alcina cantora

A Estação Porto localizado no Centro de Vitória apresentará a 25ª edição do Baile dos Artistas. A festa, comandada pela irreverente cantora Maria Alcina (foto acima), acontecerá no próximo sábado (04 de fevereiro) e começará a partir das 22 horas.

Este ano a festa terá uma homenageada em especial: Emilinha Borba. A grande dama do rádio estaria completando neste ano, se estivesse viva, noventa anos. Por isso a grande maioria das marchinhas tocadas no dia serão as que foram explendorosamente interpretadas por Emilinha, em especial na época do rádio.

O 25º Baile dos Artistas acontece sábado, a partir das 22h, com show da cantora Maria Alcina Estação Porto. Centro, Vitória. Ingressos: 1kg de alimento não perecível. (27) 3222-2440.

NO FIM DE SEMANA SERÃO DIAS DE "COMÉDIA CANIBAL"


Diretamente da internet para os palcos o grupo Mundo Canibal apresenta a peça de humor "Comédia Canibal". O irreverente grupo chega ao Teatro Universitário, nos dias 4 e 5 de fevereiro, com a sua versão teatral do grande sucesso da internet. Fazem parte do grupo: Marco Zenni, Fernando Cambota, Murilo Gun e Rogério Vilela. Os comediantes trazem para a galera da Grande Vitória um humor de stand-up nada convencional, politicamente incorreto, e recheado de tiradas ácidas.

Com mais de sete milhões de visitantes únicos no mês e mais de 17 milhões de visitas mensais, o site Mundo Canibal (www.mundocanibal.com.br) é considerado o maior portal brasileiro de animações em flash. Juntos, seus vídeos já ultrapassaram a marca de 395 milhões de exibições. Destaque para “Avaiana de Pau”, que sozinha já alcança 20 milhões.

Os ingressos para o espetáculo 'Comédia Canibal Stand Up - Projeto Espírito Comédia - Circuito de Teatro' podem ser adquiridos por R$ 40 (R$ 20 a meia entrada) no site www.ingresso.com ou na bilheteria do Teatro. Mais informações: 4009-2953.

Serviço:
Dia: 4/02- 20h
Dia: 5/02 – 19h
Inteira: R$ 40,00
Meia: R$20,00

OS LANÇAMENTOS LITERÁRIOS DA SEMANA

Mais uma semana começa e, para os amantes da leitura, é mais uma semana para se deleitar com o melhor da literatura. Para te ajudar neste processo de escolha o Outros 300 lista agora os lançamentos literários da semana. Confira a lista abaixo:

A Festa do Século
Niccolò Ammaniti

O autor faz uma ode à futilidade da sociedade contemporânea. Para isso, reúne celebridades, como falsos intelectuais, jogadores de futebol, escritores ganhadores do prêmio Nobel, políticos desonestos e atrizes pornô, numa celebração ao lado de criaturas enviadas pelo próprio demônio.

Todos os Dias na Toscana
Frances Mayes

Autora dos best-sellers "Sob o Sol da Toscana" e "Bella Toscana", Mayes continua o registro lírico do seu longo caso de amor com a arte, a cozinha e o estilo de vida toscanos neste novo relato sobre o lugar que escolher para construir o seu lar.

Um Mundo Brilhante
T. Greenwood

Mostra como as escolhas podem depender de eventos que, inesperadamente, interceptam os caminhos de cada um. Na trama, um ato de compaixão após uma nevasca dá início à narrativa, com a qual o autor propõe uma reflexão sobre as decisões tomadas na vida.

A Resposta
Kathryn Stockett

Best-seller que deu origem ao filme "Histórias Cruzadas", que está concorrendo ao Oscar, apresenta três mulheres bastante distintas (uma jovem branca recém-formada na universidade e duas empregadas negras) que dão início a um movimento que transforma uma cidade.

Livro Um mundo brilhante de T. Greenwood
Procura do Romance
Julián Fuks

Escrito pelo renomano escritor argentino, mostra a vinda de Sebastian de volta a Argentina em busca de reencontrar traços de seus passado onde, paralelamente, o escritor tenta recuperar inspiração para voltar a escrever.

"PROCURA DO ROMANCE" NOVO LIVRO DE JULIÁN FUKS

Livro Um mundo brilhante de T. Greenwood

"Procura do Romance" é a nova obra do premiado escritor argentino Julián Fuks que chega às livrarias capixabas nesta semana. O livro conta a estória de Sebastián, um escritor em visita a Buenos Aires, na Argentina, que retorna ao velho apartamento onde viveu dois anos de sua infância. Ele, no entanto, não busca apenas evocar o passado remoto a fim de reencontrar-se consigo mesmo, com suas raízes, mas também saber se relacionar com a ânsia de encontrar uma história - angústia comum no universo literário -, ou se deparar com algo que impulsione o seu processo de escrita. Eis Sebastián, jovem autor em meio a um bloqueio criativo. É em torno dele que gira a narrativa do livro.

Ao longo desta narrativa psicológica, experiências sensoriais (cores, cheiros, texturas etc.) ganham destaque, evocando velhas recordações de sua infância - Sebastián lembra-se sobretudo da mãe, de sua relação com ela e do distanciamento forçado que lhe foi imposto durante o período em que ela ficou de cama, recuperando-se de um grave acidente.

Chama a atenção a habilidade de Fuks em fazer pequenos detalhes saltarem aos olhos do leitor - ruídos sutis, uma luz que atravessa a janela, um leve toque... As palavras cumprem o papel de uma câmera filmando em close.

Há ainda uma inquietação que permeia a passagem de Sebastián pela Argentina. Deslocamento, não pertencimento. Talvez haja algo de autobiográfico em "Procura do Romance". Paulistano, Julián Fuks é filho de argentinos exilados no Brasil. Por isso, a suspeita fica no ar. Mas é apenas especulação.

domingo, 29 de janeiro de 2012

"TRANSA" CONTINUA ATUAL, 40 ANOS DEPOIS


O choque das idéias tropicalistas com a ditadura fez com que Caetano Veloso fosse para Londres em julho de 1969. Caetano tinha sido preso com Gilberto Gil, em São Paulo, no fim de 68. Ambos foram acusados de desrespeito ao Hino Nacional e à bandeira brasileira. Os músicos foram transferidos para o Rio e tiveram suas cabeças raspadas, sendo liberados após o carnaval de 69.

Mesmo fora do país, Caetano e Gil continuaram a protestar e, de Londres, Caetano enviou artigos para o jornal “O Pasquim” e músicas para vários intérpretes, como Gal Costa, Maria Bethânia, Erasmo Carlos e Roberto Carlos. No exílio político, o compositor lançou “Caetano Veloso (1971), disco triste com canções compostas em inglês (“London, London”, “Maria Bethânia”) e endereçadas aos que ficaram no Brasil. Já o álbum seguinte, “Transa, representou seu retorno ao país. Caetano gravou o LP no final de 1971. Porém, a obra foi lançada em território brasileiro em janeiro de 1972, há exatos quarenta anos.

Pressão

Em 1971, o cantor conseguiu um visto de um mês para voltar ao Brasil e acompanhar os festejos dos 40 anos de casamento de seus pais. Ao chegar aqui, sofreu pressão dos militares para fazer uma música de louvor à Rodovia Transamazônica. O compositor recusou-se a atender o pedido, mas gostou do radical “trans”. Como o título sugere, o álbum é uma transa de linguagens e ritmos. Caetano funde inglês com português, rock com samba, baião e blues. Sobre o disco, Veloso declarou em uma entrevista ao Jornal do Brasil: "Chamei os amigos para gravar em Londres. Os arranjos são de Jards Macalé (violão e guitarra), Tutti Moreno (bateria), Moacyr Albuquerque (baixo) e Áureo de Souza (percussão). Não saíram na ficha técnica e eu tive a maior briga com meu amigo que fez a capa. Como é que bota essa bobagem de dobra e desdobra, parece que vai fazer um abajur com a capa, e não bota a ficha técnica? Era importantíssimo. [...] Gosto do disco todo. Orgulho-me imensamente deste som que a gente tirou em grupo".

Canções

A música que abre o disco é a bilíngüe "You Don't Know Me". Nesta canção, o cantor expõe sua solidão londrina. Destaque para as inúmeras referências musicais brasileiras. A primeira é "Maria Moita", de Carlos Lyra, e a segunda é "Reza", de Edu Lobo, Caetano também faz uma auto citação colocando um pedaço de "Saudosismo", cantada por Gal Costa, e finaliza com "Hora do adeus", de Luiz Gonzaga. Com desabafos em inglês, o compositor faz o prefácio ideal para o restante da obra. Na seqüência, temos “Nine out of ten”, que anuncia o poder do Reggae e que “a idade da música é passado”. Ao som do Reggae, Caetano anuncia: “I’m a alive” (estou vivo). Acerca da canção, o autor disse: “A minha melhor música em inglês. É histórica. É a primeira vez que uma música brasileira toca alguns compassos de reggae, uma vinheta no começo e no fim. Muito antes de John Lennon, de Mick Jagger e até de Paul McCartney. Eu e o Péricles Cavalcanti descobrimos o reggae em Portobelo Road e me encantou logo. Bob Marley e The Wailers foram a melhor coisa dos anos 70”.

Na terceira faixa, intitulada "Triste Bahia", Caetano põe melodia nas duas primeiras estrofes do poema "À cidade da Bahia", de Gregório de Mattos e acrescenta alguns sambas de roda, cantigas de capoeira e afoxés. A composição tem instrumentação e arranjo fenomenais! Já a quarta canção, a balada “It’s a Long Way”, faz referência a diversas outras obras: “The Long and Winding Road”, dos Beatles, “Sodade, meu bem, Sodade”, de Zé do Norte, “A Lenda do Abaeté”, de Dorival Caymmi, e “Berimbau”, de Baden Powell e Vinícius de Moraes. Na faixa seguinte (único cover do álbum), “Mora na filosofia”, de Monsueto Menezes e Arnaldo Passos, Caetano transforma o ótimo samba num rock ‘n’ roll melhor ainda (“Pra que rimar amor e dor?”, diz um dos versos).

A existencial e experimental faixa de número seis, "Neolithic Man", conta com Gal Costa nos vocais e também mistura inglês com português. Embora soe com extrema brasilidade, Caetano mistura vários elementos musicais num clima psicodélico. Encerrando o disco, “Nostalgia” é um blues com a participação de Ângela Rô Rô, na gaita, e, como em diversas outras músicas do disco, Gal Costa.

Ademais, “Transa” é tão importante musicalmente (e politicamente) que foi eleito em uma lista da versão brasileira da revistaRolling Stone como o oitavo melhor disco brasileiro de todos os tempos e, nesse ano, alguns fãs lançaram na rede social Facebook a campanha "Queremos 'Transa’, do Caetano Veloso, ao vivo”.

(Texto publicado originalmente no Caderno Pensar, de A Gazeta, no dia 28 de janeiro de 2012).

ENTREVISTA COM O ESCRITOR CARLOS ALEXANDRE DA SILVA ROCHA

Carlos Alexandre da Silva Rocha nasceu em Vitória-ES em 1988. Escreve desde os treze anos de idade e tem como influências Drummond e os escritos simbolistas. Sua poética tem temática variada: poemas sociais, românticos, entre outros. “Um homem na sombra” aparentemente se coloca aos olhos do leitor como algo simples. Entretanto, como o livro versa sobre as angústias humanas, ele torna-se não tão fácil de ser encarado. Confira, abaixo, a entrevista com o poeta:

1 - Na orelha de seu primeiro livro – Um homem na sombra –, Leonardo Lúcio afirma que você é um poeta que preza pela simplicidade, o que pode ser observado nos versos livres e concisos que predominam em grande parte da obra. Fale um pouco sobre essa característica de sua poética.

Resposta: Isso que o Leonardo observou é verdade. O meu trabalho teve como opção a simplicidade, porque os poemas tendem a ter uma voz atual, do século XXI, que expressa a rapidez, o instantâneo, com versos curtos e temas que perpassam a nossa sociedade. O título está relacionado a algo mais pessoal entre eu e a obra, pois o livro, por ter essa simplicidade, já traz no título certa introspecção pessoal, que é passada para a obra. “Um homem na sombra” é uma reunião de poemas escritos ao longo de anos, como geralmente ocorre com todo primeiro livro, e, por isso, não tem um tema central, cada poema fala sobre algo diferente. A característica central mais evidente é essa simplicidade introspectiva.

2 - Então, você iniciou sua produção literária há alguns anos. Quando você começou a escrever?

Resposta: Eu escrevo há dez anos. Comecei aos treze anos de idade. Os primeiros poemas que escrevi não são muito elaborados, como ocorre com qualquer poeta em início de produção. O tempo e o passar dos anos vão dando-nos mais maturidade poética e de vida para escrever de forma mais apurada ou até mesmo encontrar uma estética própria. Por isso, se eu for lançar um livro hoje, ele não será como o que eu lancei em 2008, porque eu não sou mais o mesmo escritor, então será totalmente diferente. Podemos ver isso na obra de Carlos Drummond ou de Cabral, por exemplo, que ao longo do tempo foram desenvolvendo e elaborando com mais rigor suas poéticas.

3 - Falando sobre a poética de Drummond, em um de seus poemas, você estabelece uma relação intertextual com o poema drummondiano “José”. Drummond é um poeta que influenciou ou que influencia sua escrita? Fale um pouco sobre a relação de seus poemas com a obra desse autor.

Resposta: Eu acho que tudo que nós lemos nos influencia de certa forma. Drummond fez e faz parte da minha formação de leitor, foi com ele que eu comecei a ler poesias, foi com ele que me iniciei nesse mundo. Após Drummond é claro que surgiram outros poetas com os quais eu também me identifico, como Cabral, Bandeira, Hilst e Gullar. Drummond me influenciou e vai me influenciar sempre, assim como os autores que eu leio e que me fazem pensar em coisas nas quais eu nunca tinha pensado antes.

4 - Além da influência literária, há outras artes que influenciam sua escrita?

Resposta: A literatura, de uma forma geral, é influenciada por outras artes, a maioria de poetas é influenciada pela pintura, pelo cinema ou pela música, por cantigas populares, como Manuel Bandeira, por exemplo. No meu livro, o poema “Os retirantes” foi escrito a partir de uma fruição da tela de Cândido Portinari.

5 - Você se formou em Letras-Português pela Ufes. Esse seu gosto pela literatura e pela arte, de forma geral, teve alguma relação com a escolha de sua profissão?

Resposta: Sim, foi por gostar de literatura, de ler e de produzir, que eu optei pelo curso de Letras. Nesse aspecto, o curso foi bom, porque eu adquiri um olhar mais crítico acerca de minha produção e da produção de outros autores.

6 - E sua produção literária atualmente ainda é voltada para a poesia?

Resposta: Eu continuo escrevendo poesia, mas estou dividindo o espaço com crônicas e contos também. Escrevo semanalmente no meu blog de crônicas chamado “Pierrô Crônico”. As crônicas me dão a possibilidade de desenvolver um lado mais irônico da minha escrita, que eu não explorava muito anteriormente.

7 - Quais são os processos de criação que você utiliza nesses dois gêneros literários?

Resposta: A poesia tem certa ligação com a própria palavra, com o som e o ritmo. Não é tão necessário estar atualizado acerca dos acontecimentos do mundo, como é necessário no caso de se escrever uma crônica. A crônica, por ser mais narrativa e argumentativa, está relativamente presa no instante da escrita, por isso algumas se tornam desatualizadas, embora haja aquelas que continuam atuais a todo o momento.

8 - “Um homem na sombra” foi patrocinado por uma lei de incentivo cultural. Como você avalia o cenário cultural capixaba no que diz respeito ao fazer artístico, à produção de arte? No seu ponto de vista, quais são as dificuldades atuais encontradas? Como foi o seu processo para a busca desse incentivo?

Resposta: No cenário cultural capixaba há muitas pessoas produzindo em todas as áreas do fazer artístico, produzindo coisas boas. O único problema está na hora de apresentar o trabalho para o público. Uma pequena parte do processo já foi resolvida com as leis de incentivo cultural, que patrocinam a produção ou o evento, fazendo com que os atores, cantores, escritores, etc. levem ao público a sua arte. Entretanto, a publicidade tem curta duração, as obras só são divulgadas no ano de publicação e no outro ano já são esquecidas. Até para colocar a obra em venda há dificuldades, às vezes as livrarias ou os sebos não aceitam, por exemplo, há entraves, pois não existe muita procura. No meu caso, meus amigos que são escritores me informaram sobre as leis e me incentivaram a procurar esse patrocínio. Eu busquei durante dois anos incentivo para a publicação, e consegui no segundo, publiquei o livro em 2008.

9 - Você publicou um livro de poemas e atualmente escreve crônicas em seu blog. Quais são seus planos, com relação à escrita, para o futuro?

Resposta: No presente, pretendo continuar publicando no blog. Preciso de tranquilidade e calma para escrever. Tenho alguns projetos em andamento, outros estão parados, como um livro de poesias eróticas que pretendo publicar.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

OS ROCKS PARA O FIM SEMANA

Sexta-feira é o dia em que o Outros 300 lista qual é a boa para o fim semana com o melhor do cinema, música, teatro e artes em geral. Confira abaixo:

Música

Charlie Brown Jr, banda

Na sexta, a dupla Guilherme e Santiago agita a galera no Multiplace Mais, em Guarapari, cantando seus maiores sucessos. Ainda em Guarapari, a Festa Pânico na TV movimenta a pista da Boate Luazul, com os DJs Gabiru e David Collins. Em Vitória tem o Cinco Nós e o Casaca as 19h na Tenda Vitória Verão 2012 na Praia de Camburi com entrada franca. No Anchietinha (Quadra da Jucutuquara) tem o encontro entre a escola anfitriã com a MUG.

No sábado, o sertanejo do Gusttavo Lima e o axé da banda Timbalada fazem a poeira subir no Ensaio do Bloco Pirraça, na Pedreira Adventures Park. Ainda em Guarapari, a banda Charlie Brown Jr. (foto) embala a noite no Multiplace Mais. Tem ainda o Alpha Blondy no Ilha Shows em Camburi. E no Tenda Vitória Verão 2012 na Praia de Camburi é a vez do 14 Bis se apresentar.

Cinema

Os cinemas capixabas estarão recheados de ótimos filmes. Em especial tem os lançamentos de J Edgar, Os descendentes, e Os homens que não amavam as mulheres. Além de Imortais, 2 Coelhos e do Sherlock Holmes - o jogo das sombras, todos grandes sucessos. A dica especial é por A árvore do amor filme chinês que recebeu excelentes críticas. O filme estará em cartaz no Cine Jardins.

Dança


Em Jacaraípe entre os dias 26 e 28 poderá conhecer um pouco mais sobre a influência da cultura africana na formação da sociedade brasileira. No evento, realizado na Praça Encontro das Águas, em Jacaraípe, serão oferecidas oficinas de música, percussão, dança, moda e penteados afros. Tem também a Companhia ENKI de Dança que apresenta o espetáculo de Dança Afro Contemporânea "Conexões", com direção de Paulo Fernandes, dia 27 de janeiro, às 20 horas, no Teatro Carlos Gomes.


CARLINHOS VEIGA: SHOW DE LANÇAMENTO DO DVD "CHÃO"


Com mais de 20 anos de carreira, neste show Carlinhos registra um pouco da sua trajetória musical, toda ela entrelaçada ao cancioneiro brasileiro, indo da toada mineira à moda de viola, visitando os ritmos e folclores sonoros dos nossos "brasis".

O show de abertura ficará por conta da capixaba Aline Pignaton e o seu show "O que realmente importa", cantora que tem se destacado como uma das grandes vozes da MPB no Espírito Santo.

SOBRE CARLINHOS VEIGA

Um dos grandes nomes da música regional brasileira, possui uma trajetória ímpar, iniciada ao final dos anos 1980. Com seis discos gravados, o cantor, compositor e multi-instrumentista lançou em 2011 o DVD "Chão", que resume um pouco de sua trajetória nesses mais de 20 anos de carreira.

Seu trabalho tem, ao mesmo tempo, a influência da música de raiz e de artistas consagrados da música popular brasileira. Chico Lobo - violeiro, cantador, folclorista e um dos maiores nomes da viola caipira - Helio Delmiro - arranjador, compositor, instrumentista e músico que acompanhou grandes nomes, como Clara Nunes, Elis Regina, Elza Soares e Sarah Vaughan - e Telo Borges - pianista, irmão de Lô e Márcio Borges, que já acompanhou Beto Guedes e Milton Nascimento, além de ser ganhador do Grammy Latino com a canção "Tristesse" - são só alguns dos grandes nomes da música brasileira que já dividiram o palco e gravações com Carlinhos Veiga.

Como a turnê "Chão" passará pelo Espírito Santo em Janeiro de 2012 (Carlinhos vai realizar uma apresentação em Guarapari), nada mais justo do que a cidade de Vitória também receber esse grande artista brasileiro.

E a recepção ficará por conta da cantora Aline Pignaton, uma das grandes novas vozes da música brasileira no Espírito Santo, com o seu show "O que realmente importa", homônimo ao seu primeiro disco lançado no primeiro semestre de 2011. O disco de Aline está praticamente esgotado e foi bem recebido pela crítica local e nacional.

SERVIÇO

CARLINHOS VEIGA: SHOW DE LANÇAMENTO DO DVD "CHÃO"

Data: 28 de janeiro de 2012

Horário: 20 horas

Local: Theatro Carlos Gomes

Praça Costa Pereira - Centro, Vitória.

VÍDEO PRODUZIDO NA MOSTRA "MEU LUGAR" SERÁ EXIBIDO HOJE NA TVE


Os vídeos que foram produzidos por jovens de quatro escolas públicas estaduais na Mostra Meu Lugar estão sendo exibidos na programaçao da TV Educativa do Espírito Santo, canal 02, pela primeira vez disponível a todos que tenham interesse em conhecer um pouco mais sobre a visão dos jovens da vida nos bairros de quatro cidades da Grande Vitória.

Os três primeiros vídeos já foram exibidos no programa CurtaVídeo, responsável por divulgar produções capixabas de curta-metragens. Hoje, às 22h30, será a última exibição do vídeo produzido pelos jovens do bairro de Terra Vermelha. Para quem não puder assitir no horário, a TVE irá reprisar o programa no domingo (29), às 18h30.

O vídeo "Controlando a minha maluques", foi feito pelos alunos da EEEFM "Mário Gurgel", em Terra Vermelha, no município de Vila Velha. O documentário mostra a irreverência de Reginaldo Rayol, pedreiro que aproveita a feira tradicional do domingo para animar a comunidade com seu violão sem cordas e sua música.

Os vídeos-documentários foram resultados das oficinas de audiovisual realizadas nos bairros: Vila Bethânia, em Viana; Feu Rosa, na Serra; Nova Rosa da Penha, em Cariacica; e em Terra Vermelha, em Vila Velha.

A Mostra Audiovisual "Meu Lugar" integra o Projeto Cultura Presente e é direcionado para jovens do Ensino Médio de Escolas Públicas Estaduais. O objetivo das oficinas realizadas é oferecer aos alunos a oportunidade de entrar em contato com a linguagem e as técnicas audiovisuais para produção de um vídeo que retrate o lugar onde vivem.

As oficinas audiovisuais nos bairros foram coordenadas pelo Instituto Marlin Azul e a realização é da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), em parceria com o Instituto Sincades, por meio do Programa Rede Cultura Jovem - PRCJ.

PROGRAMAÇÃO CINE JARDINS - 27/01 A 02/02


Borboletas Negras (África do Sul/Alemanha/ Holanda, 2011 – 100 min.)

Drama – Classificação 14 anos – todos os dias (exceto terça!) – 21h10

Dirigido pela holandesa Paula van der Oest, “Borboletas Negras” traz a história de Ingrid Jonker, poeta sul-africana considerada uma das mais célebres escritoras do continente africano. Ancorado na atuação excepcional da atriz holandesa Carice van Houten e nas fiéis representações da Cidade do Cabo e de seus guetos periféricos. A narrativa mantém seu foco na carência quase nata de Jonker, o que aumentava o trauma de suas frustradas relações amorosas e a rejeição por parte do pai. O trabalho de Ingrid Jonker ficou consagrado pela forma marcante como sua poesia representou a voz da população negra vitimizada durante o regime do Apartheid nesse país.

Nota do crítico Érico Reis (Jornal O Globo): * * * * (Ótimo)

Os Nomes do Amor (França, 2010 – 100 min.)

Romance/Comédia/Drama – Classificação 14 anos – todos os dias – 19h10

Ganhador de dois prêmios César, melhor filme e melhor atriz (Sara Forestier), esta produção exibida na tela do Cine Jardins durante o Festival Varilux de Cinema Francês 2011 foi selecionado também para a semana da crítica no festival de Cannes. O enredo traz Forestier na pele de Bahia, uma jovem militante de esquerda e de origem franco-árabe que se vale do sexo para cooptar seus adversários políticos de direita, dessa forma se apaixona por Arthur (Jacques Gamblin). Repleto de críticas sociais e com humor inteligente que vai arrancar muitas risadas do público adulto.

Nota do crítico André Miranda (Jornal O Globo): * * * * (Ótimo)

A Árvore do Amor (China, 2010 – 114 min.)

Romance/Drama – Classificação 14 anos – todos os dias – 17h05

Produção chinesa do mais célebre diretor sino em atividade, Zhang Yimou (“Lanternas Vermelhas”, “O Clã das Adagas Voadoras”, “Herói”). Reconhecido por seu impecável trabalho de arte, e delicadeza nos enredos e composição de seus filmes, em “A Árvore do Amor” Yimou reconstrói um conto clássico ao narrar a história de dois jovens que tem seu amor interrompido durante a Revolução Cultural Chinesa.

Nota do crítico Rodrigo Fonseca (Jornal O Globo): * * * * * (Excelente)

Alvin e Os Esquilos 3 (EUA, 2011 – 87 min.)

Comédia família – Classificação livre – todos os dias – 15h20

Em um luxuoso cruzeiro, Alvin, Simon, Theodore e as Esquiletes estão agindo como de costume, transformando o navio em seu playground pessoal, até que eles ficam encalhados em uma ilha deserta. Enquanto Dave Seville procura neuroticamente por sua equipe desaparecida, os 'Esquilos e as Esquiletes' fazem o que fazem de melhor - cantam, dançam e causam confusão. Mas eles terão uma surpresa quando embarcam em uma aventura insular com seu novo amigo - um náufrago que é mais do que páreo para Alvin e os Esquilos.

Um Conto Chinês (Argentina/Espanha, 2011 – 93min.)

Comédia – Classificação 14 anos – todos os dias (exceto sábado!) – 21h15

Comédia de erros escrita e dirigida por Sebastián Borensztein. Esta elogiada produção argentina protagonizada por nada menos que Ricardo Darín (“O Segredo dos Seus Olhos”) é uma mostra, rara nos dias de hoje, de que é possível realizar uma comédia com conteúdo reflexivo e ótimas atuações. No encontro inusitado do argentino Roberto (Ricardo Darín) com o chinês Jun (Ignácio Huang), um sem falar uma palavra do idioma do outro, discute-se diferenças, convivências, guerra das Malvinas e como uma vaca que cai do céu pode mudar a vida de um homem.

Nota do crítico Roberto Cunha (Jornal do Brasil): * * * * (Ótimo)

Medianeras: Buenos Aires na Era do Amor Virtual (Argentina/Espanha/Alemanha, 2011 – 95 min.)

Romance/Comédia/Drama – Classificação 14 anos – todos os dias – 19h20

Produção argentina que vem arrebatando prêmios em festivais internacionais, incluso Berlim e Gramado, “Medianeras”, nas palavras do crítico Celso Sabadin, é um filme “urbano, jovem, inspirado, atual, divertido, inteligente, charmoso”. Com o enredo girando em torno de dois jovens solitariamente frustrados, Martín e Mariana, que vivem na urbana e populosa Buenos Aires, o autor perverte o peso da solidão e urbanicidade e converte em humor ácido e autocrítico, mesclando isso a uma narrativa dinâmica e cativante, o filme resultam em uma excelente produção, que reafirma a qualidade da atual produção cinematográfica argentina.

Nota do crítico Celso Sabadin (portal Cineclick): * * * * (Ótimo)

O Último Dançarino de Mao (Austrália, 2010 – 117 min.)

Drama – Classificação 14 anos – todos os dias – 17h00

Não é a primeira vez que a Revolução Cultural Chinesa imposta pelo ditador Mao Tse Tung é tema nos cinemas. Quem não se lembra do arrebatador “Adeus Minha Concubina”, de Chen Kaige, que levou a Palma de Ouro em Cannes nos idos 1993. Em “O Último Dançarino de Mao”, baseado na autobiografia do bailarino Li Cunxin e dirigido pelo australiano Bruce Bersford, novamente a temática da perseguição aos artistas durante a revolução maoísta é trazida à tona. Embora um tanto tendencioso ao repetir o discurso de uma “América” (leia-se EUA), enquanto nação da liberdade frente aos horrores de regimes comunistas, a produção é um espetáculo visual e musical, com um belo trabalho de arte e competência dramática.

Nota da crítica Júlia Moura (Jornal do Brasil): * * * * (Ótimo)

Animais Unidos Jamais Serão Vencidos (Alemanha, 2010 – 93 min.)

Infantil – Dublado 2D – Classificação Livre – todos os dias – 15h10

Um grupo de animais vive em paz em território africano. Até que, um dia, a água simplesmente desaparece. Eles investigam o que possa ter ocorrido e descobrem que os homens construíram uma imensa represa, que deixou o local onde vivem totalmente sem água. Para reverter esta situação, os animais resolvem se unir e partir para a guerra contra os humanos.


Serviço

Cine Jardins (Shopping Jardins). Rua Carlos Eduardo Monteiro de Lemos, 262 Jardim da Penha, Vitória/ES, CEP 29.016-120. (27) 3026-8099 (14h-21h).

SÉRIE GRANDES OBRAS DA LITERATURA MUNDIAL: "O HOMEM DUPLICADO"


O homem duplicado é um romance escrito pelo português José Saramago em 2002. Apesar do título o livro não tem nada de ficção científica, pelo contrário, é um livro que conta como é a natureza humana e como nós somos em nosso íntimo.

Tertuliano Máximo Afonso é um deprimido professor de História que, metódico ao extremo, vive sozinho, sem esposa, filhos, ou parentes. Eventualmente tem contato com a mãe e com uma mulher que se relaciona quase que por somente uma necessidade física. Sua vida muda ao ver um filme banal chamado "Quem Porfia mata caça" que um colega de matemática lhe recomendara, onde acaba descobrindo que um dos atores é um seu sósia.

Essa descoberta dá um novo sentido à vida monótona de Tertuliano que passa a procurar desesperadamente por seu sósia, a fim de entender do porque daquilo tudo, de quem ele era, e de quem o próprio Tertuliano era.

Após ávida investigação Tertuliano encontra o tal sósia que, a principio, gosta de ideia de ter uma cópia exata, mas o fato de haver dúvida em saber "quem era a cópia" massacra tanto Tertuliano quanto seu sósia, desembocando num final trágico e surpreendente.

Saramago é gênio em descrever o humano como ele é, mesmo descrevendo-nos como animais nem sempre dotados de escrúpulos. A trama é inteligente e, ao contrário de outros livros do português, não é complicada de entender. É uma excelente leitura. Indico.

José Saramago, escritor do O homem duplicado. Gênio!

ESTRÉIA NOS CINEMAS CAPIXABAS O DRAMA "J EDGAR"


Estréia nesta sexta-feira nos cinemas do estado o drama J Edgar, filme biográfico sobre a vida pública e privada de J. Edgar Hoover (Leonardo di Caprio), o controverso diretor e principal nome à frente da mais famosa agência de inteligência do mundo, o FBI, que foi oficialmente fundada em 1935, tornando-se uma eficiente ferramenta de combate ao crime.

O personagem principal do filme foi ao mesmo tempo em seu país temido e admirado, odiado e reverenciado; ficou conhecido por causa de seus crítérios sempre discutíveis para perseguir ativistas políticos, congressistas e líderes do movimento negro, e ainda pos seus métodos ilegais para criar arquivos secretos de líderes adversários.

Consta na biografia de Hoover, também, sua suposta homossexualidade e uma queda especial pelo travestismo, dados que eram guardados a sete chaves pelo agente. O filme conta com a direção sempre firme de Clint Eastwood e com uma interpretação sem erros (mas longe de ser brilhante) de Di Caprio. O legal é ver que, se não foi uma interpretação digna de Oscar, que o loirinho parece mesmo ter se livrado da imagem de galãzinho sem talento.

O filme é interessante, mas um pouco falado demais. O jeitão meio arrastado pode afastar aqueles mais ávidos por ação das salas de cinema e prepare-se para um drama que não quer emocionar e sim, somente, te contar uma estória e isso é feito muito bem.

"OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES" A VERSÃO AMERICANA


Além de J Edgar (post acima) também estréia hoje nos cinemas capixabas o filme Millennium - Os Homens Que Não Amavam as Mulheres baseado na trilogia de livros do sueco Stieg Larsson. O filme, já exibido na Suécia, ganha uma versão americana que, segundo críticos, é melhor do que a versão de país natal.

A começar por sua atriz principal, Lisbeth Salander (Rooney Mara, indicada ao Oscar de Melhor Atriz), pois quando está em cena no filme, é impossível desviar os olhos da tela. E, quando ela não está, é impossível não torcer para que ela volte logo.

A personagem, ou a atriz (a essa altura já nem é mais possível separar uma da outra), se tornou um ícone cultural e sexual pós-ciberpunk de nossa era, e, ao menos tempo, uma garota frágil. Seu visual, às vezes, andrógino, que abusa dos piercings e roupas de couro preto, é um convite à curiosidade - mas, ao cair esse verniz externo, encontra-se uma garota fragilizada, desesperada em busca de proteção e, uma vez que não encontra isso, precisa se defender sozinha.

O sucesso da personagem, que é a melhor coisa da trilogia de livros do sueco Stieg Larsson, é bastante justificado - não apenas porque ela mostra-se capaz de penetrar nos computadores mais remotos e protegidos, enquanto boa parte da humanidade encontra dificuldade em lidar com a senha do e-mail, mas porque ela representa a fragilidade e força que existem dentro de cada pessoa.

Na adaptação feita por David Fincher, Rooney Mara (A Rede Social), assim como a atriz sueca Noomi Rapace (que fez a personagem na trilogia original), encontra a dimensão humana exata dessa figura enigmática. É curioso como as duas intérpretes trilham caminhos um tanto diferentes para a mesma figura.

A trama estabelece um diálogo entre passado (nazismo) e presente (ciberespaço). O elo é um jornalista abelhudo que acaba de ser condenado por calúnia - mas esse veredicto, como ele tentará provar, é injusto.

Mikael Blomkvist é interpretado pelo atual James Bond, Daniel Craig. Por mais esforçado que seja, perto de Lisbeth/Rooney ele é uma figura pálida - mais por culpa do personagem do que do ator. No ostracismo depois de afastar-se da revista Millennium, Mikael aceita um trabalho de detetive, contratado por um ricaço (Christopher Plummer) que procura uma sobrinha desaparecida há quatro décadas.

Por mais talentoso e técnico que Fincher seja, há algumas limitações da narrativa de que ele não consegue se livrar, como os exageros dos livros de Larsson.Porém, a versão americana do filme é honesta ao material original. Sabe que, no fundo, está lidando com uma trama policialesca e rocambolesca de horror.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

1ª SEMANA DE ARTES DA BOLA DE NEVE


Vai começar hoje (dia 26/01) e vai até o dia 29 a 1ª semana de artes da igreja evangélica "Bola de Neve Church". Antes que você fique um pouco reticente quanto ao fato de estarmos divulgando uma evento (a princípio) gospel valem alguns esclarecimentos:

A Bola de Neve não é uma igreja evangélica convencional, pelo contrário, seus cultos são mais pops do que muitos shows que vemos por aí. Seu público é composto em sua maioria por jovens, surfistas, skatistas, grafiteiros e similares. É muito comum vermos membros tatuados e com piercings, por exemplo. Só para se ter uma ideia, Rodolfo Abrantes ex-vocalista do Raimundos, é membro de tal igreja.

A divulgação da semana de arte se dá pelo fato de que os eventos da Bola de Neve, pela sua leveza e descompromisso, acabam atingindo a todo o tipo de público seja evengélico ou não, e são, indiscutivelmente, de muita qualidade. Não tenha nenhum receio de ir, pois além de eventos de arte muito bons você não terá "nenhum crente te enchendo o saco", te garanto. Confira a programação:

Quinta-feira (26/01)

17h – Coquetel de abertura

17h - Mostra de curtas / exposição JP Fotografias: “Espera”

19h – Culto

Sexta-feira (27/01)

15h – Mostra de curtas / Oficinas / Exposição JP Fotografias: “Espera”

15h às 19h – Grupo Avalanche (teatro, dança e circo)

18h – Abertura da exposição Série Waves, de Tom Veiga

19h – Capoeira com Circo dos Sonhos

20h – Palestra “Arte Digital e tecnologia nos dias atuais”, com Tom Veiga

Sábado (28/01)

15h – Mostra de Curtas / Oficinas / Exposição JP Fotografias: “Espera”

15h às 19h – Grupo Mula de Balaão (teatro, dança e circo)

19h às 20h – Academia dos Sonhos

20h – Palestra “Papel social da fotografia e Help Portrait”, com JP Murabah

Domingo (29/01)

15h - Mostra de Curtas / Oficinas / Exposição JP Fotografias: “Espera”

16h às 17h – Grupo Avalanche (teatro, dança e circo)

20h – Culto e encerramento

ROCK PRA QUEM CURTE O ROCKBR DOS ANOS 80

Jefferson Ferrari, músico

Nesta quinta-feira na Praia de Itaparica, Vila Velha, rola um show pra quem curte o movimento do rock nacional (o famoso RockBR) dos anos 80. O show estará a cabo do músico Jefferson Ferrari (foto acima).

Com um repertório eclético, que resgata sucessos do pop rock nacional dos anos 80 e 90, de Legião Urbana/Paralamas do Sucesso a Titãs, o músico Jefferson Ferrari se apresenta hoje, no Mania Bar, às 20h.

Maria Pimenta Bar e Botequim.
Av. Santa Leopoldina, 585, Praia de Itaparica, em Vila Velha.
Couvert: R$ 3.
Informações: (27) 9881-6644.

SAMBA E DANCE MUSIC JUNTOS. PODE?

DJ Mark Dias

Sim, claro que pode. E o melhor é um rock pra hoje. Se você estiver de bobeira e curte samba, dance, ou os dois, é só você ir até o Royal Club, boate que fica na Praia do Canto que está apresentando o projeto "Samba House".

Nesta noite, a partir das 23h, rola muito agito na danceteria com as seguintes atrações: O grupo de pagode Jeito de Ser e o DJ Mark Dias (foto acima). Os grupos tocam, a princípio, separados, mas posteriormente se apresentarão juntos, numa mistura, no mínimo, inusitada.

Royal Club. Rua Madeira de Freitas, 244, Praia do Canto, Vitória. Entrada: R$ 25 (mulher com nome na lista), R$ 35 (homem com nome na lista), R$ 60 (mulher sem nome na lista) e R$ 80 (homem sem nome na lista). Informações: (27) 3315-7366.

"AMOR A TODA PROVA" UMA COMÉDIA FEITA PARA NÃO RIR

Capa dp DVD Amor A Toda Prova

Sempre nos questionamos sobre o que somos e o que queremos (em especial o que querem as mulheres) - principalmente no amor - e nunca sabemos as respostas. Mas é para acabar de vez com todas essa dúvidas (ou seria para aumentá-las?) que Amor a toda prova chega na sua telinha.

As respostas para todas essas dúvidas são, em boa parte do tempo, engraçadas e satisfatórias, num filme que não cai no óbvio, como a maioria das obras do gênero. A questão central, mais do que o amor, é exatamente o que as pessoas querem de suas vidas.

Steve Carell ("Virgem de 40 anos") é Cal, um corretor de seguros, aparentemente bem casado, pai de família. A notícia bombástica vem quando sua mulher, Emily (Julianne Moore), diz que quer se separar, pois se envolveu com um colega de trabalho.

Cal ficaria bem solitário por muito tempo se não fosse o pegador Jacob (Ryan Gosling) aparecer do nada, e se solidarizar com ele. O rapaz decide ajudá-lo a conseguir um novo amor. Por trás de sua aparência e fama de conquistador, Jacob esconde a superficialidade de um sujeito solitário, infeliz e em busca de um amor de verdade.

A única pessoa que pode mudar tudo isso é a jovem advogada Hannah (Emma Stone, de "Zumbilândia"), a quem ele tenta conquistar, mas que não se dobra com o papo de Jacob. Ela acaba de se formar e espera um pedido de casamento do seu namorado.

As frustrações que os personagens de "Amor a Toda Prova" acumulam vêm à tona no clímax do filme, que sucumbe ao pastelão que até então os diretores Glenn Ficarra e John Requa tinham conseguido evitar. Não que, ao final, eles estraguem tudo que foram construindo cuidadosamente até ali.

Embora seja uma comédia, "Amor a Toda Prova" não é de causar grandes gargalhadas. Na verdade, o filme nem busca o riso fácil. Aqui há um olhar interessante sobre os relacionamentos contemporâneos. Cal quer saber apenas de curtir, transformar as mulheres em objetos. E é exatamente isso que Jacob faz de sua vida.

Entre as mulheres que passam pelo caminho da dupla, a mais marcante é Kate, interpretada por Marisa Tomei - não apenas porque ela é muito real, mas também porque as cenas mais engraçadas do filme acontecem com ela (Tomei está ficando expert em personagens deste tipo). O filme é legal e, se você estiver a fim de uma trama leve, vale a pena conferir. Mas lembre-se: Você não dará muitas risadas!

FILME "OS DESCENDENTES"



"Os Descendentes" estreia amanhã nos cinemas capixabas com o status de tido cinco indicações ao Oscar, incluindo Melhor Filme, Melhor Diretor (Alexander Payne) e Melhor Ator (George Clooney). O roteiro, adaptado a partir do livro de Kaui Hart Hemmings, traz Clooney como Matthew King, um rico advogado havaiano, pai de duas meninas, e cuja esposa está em coma após um acidente náutico. Ele também é responsável pela decisão acerca da venda de um enorme pedaço de paraíso que está sob a posse de sua família há séculos.

Com o coma da esposa, Matt, pela primeira vez na vida, se vê como único responsável pelas duas filhas. Scottie tem 10 anos e vem tendo problemas para lidar com a situação da mãe. Alexandra, de 17, aposta na rebeldia para esconder as emoções e a mágoa de ter discutido com a mãe na última vez que se encontraram. Os três, ao lado do excêntrico Sid, partem para uma viagem pelas ilhas do Havaí.

Como todo bom "road movie" que se preze, o filme utiliza a jornada dos personagens para aproximá-los do espectador e desenvolvê-los sem pressa. Aos poucos vamos descobrindo o que move aquelas pessoas e dividindo suas dores.

A quem diga que o filme é um pouco parado e monotono às vezes, mas tudo é posto de lado quando as relações entre os personagens são tratadas de forma convincente e real. O público tira suas próprias conclusões acerca dos personagens e muitos podem sair com diferentes emoções em relação a eles. O Oscar anda meio em crise, mas um filme com cinco indicações, e com uma estória que parece ser bem interessante, não deve nunca ser desprezado.

SERRA: CULTURA AFRO EM JACARAÍPE DE HOJE A SÁBADO


Quem estiver em Jacaraípe entre os dias 26 e 28 poderá conhecer um pouco mais sobre a influência da cultura africana na formação da sociedade brasileira. Nestes dias será realizado o 1º Workshop Cultural de Verão Trocando Cultura e Arte Afro-brasileira, promovido pelo grupo de Cultura Afro Kisile, com apoio da secretaria de Direitos Humanos e Cidadania e também da Secretaria de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer da Serra.

No evento, realizado na Praça Encontro das Águas, em Jacaraípe, serão oferecidas oficinas de música, percussão, dança, moda e penteados afros. Além das atividades culturais, quem fizer o workshop vai poder participar de palestras e debates sobre temas pertinentes à realidade dos afrodescendentes brasileiros.

As inscrições podem ser feitas antecipadamente, na sede do grupo Kisile, na rua Terezina, 600, Jacaraípe, das 14 às 17 horas. O telefone é 3252 4406.

O encontro vai ser encerrado com um show do grupo de Cultura Afro Kisile e do Grupo Perifonia, de Viçosa, Minas Gerais.

Programação:

Dia 26 (hoje):

14 horas: Abertura do evento.
14h30: Palestra sobre Consciência Negra, com Rafael Nascimento Miranda, do Grupo Kisile.
16 horas: Lanche.
16h30: Oficina de dança afro.
17h30: Encerramento com apresentação cultural.

Dia 27 (sexta-feira):

9 horas: Troca de experiência entre os grupos culturais participantes do evento.
11 horas: Apresentações culturais.
12 horas: Almoço partilhado.
14 horas: Oficina de Percussão, com Thomas Medeiros, do Grupo Perifonia.
16 lanche.
16h30: Oficina de música e percussão: grupo Kisile e Thomas Medeiros.
17h30: Encerramento com apresentação cultural.

Dia 28 (sábado):

9 horas: Oficinas de beleza afro (penteados, tranças e vestimentas), Lei 10.639 “África na Sala de Aula”, criança e adolescência, Juventude Negra e a Violência, gênero e alimentação saudável.
12 horas: Almoço partilhado.
14 horas: Oficina de música, dança e percussão.
16 horas: Lanche.
19h30: Encerramento com apresentação cultural com os grupos Perifonia e Cultura Afro Kisile.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

CANTORA ANDRA VALLADARES LANÇA ÁLBUM NESTA QUINTA (26/01). CONFIRA!


Andra Valladares, cantora e compositora radicada em Vila Velha/ES, lançará dia 26/01 (quinta) o seu primeiro trabalho autoral. Das onze faixas quem compõem o CD, apenas a última não tem sua participação como autora ou co-autora, trata-se da música “TRÊS APITOS” (Noel Rosa). O disco conta com arranjos e produção musical de Fabiano Araújo, além da participação de talentosos artistas do cenário musical capixaba como Wanderson Lopez, Edu Szajnbrum, Andrey Junca, dentre outros. A preparação vocal foi realizada por Alza Alves.

Com relação às obras gravadas, o CD possui dois poemas musicados pela compositora, um deles é “MARIA DAS QUIMERAS”, da poeta portuguesa Florbela Espanca e o outro é “CANÇÃO PARA UMA VALSA LENTA”, do poeta Mário Quintana. O álbum conta ainda com uma parceria de Andra Valladares com sua mãe, Sandra Sarmento, na música "MORENA EXIBIDA" e também duas parcerias com Fabiano Araújo nas músicas "AS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ" e "NÃO TENHO CORAÇÃO".

O disco foi iniciado com recursos próprios e posteriormente patrocinado pela Prefeitura Municipal de Vila Velha, através da Lei Vila Velha Cultura e Arte; as empresas apoiadoras do projeto foram Chamon Empreendimentos Imobiliários e Audiovisual Produções.

Batizado com o nome "SHOW POETICAMENTE", o lançamento do CD Andra Valladares contará com arranjos e participação do violonista Emerson Arsy, no contrabaixo Hugo Maciel e bateria percussiva Edu Szajnbrum. Oito das onze faixas do CD serão executadas no show. Além disso, a cantora declamará alguns poemas e interpertará músicas do repertório nacional, homenageando grandes compositores brasileiros, tais como: Villa Lobos, Tom Jobim, Dorival Caymmi, Gilberto Gil, Chico Buarque e Adoniran Barbosa. O show contará também com a participação do cantor Barbosa Lima e do grupo lítero-musical VOZES DA VILA. Abaixo, ouça a música “Três apitos”, de Noel Rosa.

CD ANDRA VALLADARES

DATA DO LANÇAMENTO: DIA 26/01/2012, ÀS 20:30

LOCAL: TRINDADE RESTAURANTE E BAR (ANEXO AO QUALITY SUÍTES)

AV. GIL VELOSO, PRAIA DA COSTA, VILA VELHA.

INGRESSO PARA O SHOW: R$ 20,00 (CADA PAGANTE RECEBERÁ UM CD)

VALOR DO CD R$ 20,00