sexta-feira, 8 de março de 2013

OUTROS 300 ESPECIAL: HOMENAGEM AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Poesia, conto, crônica e um apanhado de indicações na TV, cinema e literatura. Tudo isso é pouco que o Outros 300 possa fazer para homenagear as mulheres, afinal hoje dia 08 é o dia oficial delas, apesar de que, noves fora o clássico chavão, todos serem os seus dias. Preparem-se para um série de postagens começando com este com o melhor das indicações na TV, cinema e literatura.

Divulgação

Dia Internacional da Mulher: elas ganham programas especiais na TV

Documentários e maratonas de filmes seguem até o final deste mês


Na TV as homenagens ao Dia Internacional da Mulher só terminam no fim do mês. As programações especiais começaram na última quarta-feira. A MTV Brasil, por exemplo, que trouxe de volta à sua grade o programa “Para Gostar de Música”.

A série de mini documentários musicais levou o VJ Chuck até Holambra, a Cidade das Flores para desvendar as “Musas das Músicas”. No programa, Chuck fala das mulheres reais que ganharam de presente vários clássicos da música como “Something”, dos Beatles, e “Sweet Child O’ Mine”, dos Guns N’ Roses.

Outros canais que exibem documentários especiais sobre o tema são: GNT, Discovery Home & Health e OFF, todos da TV paga. No Discovery, quatro documentários sugerem a reflexão sobre pessoas que ainda lutam por respeito e, em casos limítrofes, pela própria sobrevivência.

Já o canal OFF, mais voltado para os esportes radicais, vai exibir cinco horas de programação especial em homenagem à data. Enquanto isso, o GNT, traz documentários sobre as mulheres que se tornaram ícones e a obra de Chico Buarque.
O Studio Universal e os canais Telecine selecionaram uma lista de filmes para render suas homenagens.

Confira:
MTV Brasil
“Musas das Músicas”As reprises dos mini documentários sobre mulheres que inspiraram canções serão exibidas hoje (20h), sábado (0h45) e domingo (15h).

Discovery Home & Health
Seleção de documentáriosDomingo (10): “Tráfico de Esposas”, às 23h; Dia 17: “A Vida Nas Ruas, às 23h; Dias 24 e 31: “Half The Sky”, às 22h

OFF
Programação Especial de 5 horas com documentáriosHoje: às 14h, “The Fanatic Search 2”; às 15h, “20 Seconds of Joy”; às 22h, “Jessica Watson: True Spirit”; às 23h40, “Especial Laos” (inédito); 0h10, “Women and the Waves” (inédito)

Studio Universal
Maratona EspecialÀs 16h15, “Mágica Além das Palavras”; às 18h, “Vida e Arte de Georgia O’Keeffe”; às 19h45, “Nunca Mais”; às 22h, “Elizabeth”

GNT
Documentário e filmesHoje, “A Vida da Princesa Diana”; Amanhã, “Chico Buarque: Uma Palavra”; Dia 16, “Chico Buarque: Anos Dourados”; Dia 23, “Chico Buarque: Cinema”; Dia 30, “Chico Buarque: Os Saltimbancos”

Megapix
Especial Semana da MulherHoje encerra a semana de filmes em homenagem à data com a exibição de “A Trilha”, com Steve Zahn e Milla Jovovich, às 22h25.

Telecine Touch
Especial Dupla Emoção Mês das MulheresAmanhã, às 16h, “Faces da Verdade”, e “A Vida de David Gale”, às 17h55; Dia 16, às 16h, “Virada Radical”, e “Gracie”, às 18h; Dia 23, às 16h, “Evita”, e “Elizabeth: A Era de Ouro”, às 18h20; Dia 30, às 16h, “Um Cupido no Natal”, e “Um Presente Para Helen”, às 17h40.

Telecine Action
Especial Adrenalina FemininaDia 14, às 19h25, “A Espiã”, e “A Informante”, às 22h; Dia 21, às 20h25, “Plataforma do Medo”, e “A Inquilina”, às 22h; Dia 28, às 19h40, “Sin City – A Cidade do Pecado”, e “Doce Vingança”, às 22h.

Telecine Cult
Especial Mulheres CineastasHoje, às 18h, “Adeus, Primeiro Amor”; às 20h, “As Praias de Agnès”; às 22h, “Caramelo”; às 23h45, “A Teta Assustada”
Reprodução

De mulher para mulher: mercado editorial aposta em títulos voltados para elas

Com fenômeno "Cinquenta Tons de Cinza", títulos para o público feminino lideram listas de mais vendidos

Fenômeno no mundo inteiro, a trilogia “Cinquenta Tons de Cinza”, de E. L. James, chegou ao Brasil há cerca de um ano causando rebuliço, sobretudo entre mulheres. Na sua cola, publicou-se um sem número de livros eróticos destinados ao público feminino. As trilogias “Toda Sua”, de Sylvia Day, e “O Inferno de Gabriel”, de Sylvain Reynard, por exemplo, também têm seu espaço nas listas de best-sellers.


A enxurrada de títulos nesse segmento é comum, pois trata-se de uma “moda”, e as editoras aproveitam a onda para apostar em obras similares que, naturalmente, venderão bem. Segundo a gerente de direitos internacionais da Sextante, Nana Vaz de Castro, todo mundo pegou carona no fenômeno, e choveram ofertas de autores estrangeiros. “Iniciou-se uma corrida no mercado internacional, e as editoras fizeram suas apostas. Os livros saem todos ao mesmo tempo, pois não faz sentido comprar os direitos e não publicá-los no calor do momento.”


No caso da Sextante, a aposta foi na trilogia de Sylvain Reynard. “Achamos que tem mais qualidade literária. É uma história mais centrada no amor romântico, menos carregada no erotismo. Os protagonistas alimentam o desejo, mas o sexo não é explícito, fica mais na sugestão.”


A decoradora de festa Tatiana Puppin está entre o público leitor que ajudou a alavancar “Cinquenta Tons de Cinza”. Ela sempre gostou de ler, mas seu ritmo era mais lento. “Li a trilogia inteira em uma semana. Não conseguia parar. É uma literatura fácil, envolvente, bem voltada para mulher mesmo, porque não tem só erotismo. Há o lado romântico, o personagem meio heróico e a mulher que se descobre com esse homem.”


Apostas
A partir de abril, a Sextante aposta em três séries de romances históricos, ambientados na Inglaterra do século XIX. São obras de Julia Quinn, Lisa Keyplas e Madeline Hunter, que variam entre quatro e sete volumes, com algumas passagens picantes. “É um gênero que, no Brasil, ainda é identificado com subliteratura, mas a ficção comercial não é necessariamente ruim. São autoras que sabem contar uma história boa e envolvente, com personagens bem desenvolvidos”.



As mudanças de comportamento e a independência da mulher estão entre os fatores que ajudaram a produzir o fenômeno editorial. “Hoje as mocinhas são bem resolvidas na cama, trabalham, ganham seu dinheiro, fazem academia e vão para a balada... mas ainda sonham com o príncipe encantado”, diz a escritora Janaina Rico, autora de “Apimentando” e “Ser Clara”.


O sucesso, porém, não se limita ao erotismo. A chamada chick lit, romances mais leves e divertidos que retratam a mulher moderna, têm seu lugar cativo entre as leitores. “Há grandes nomes dentro e fora do Brasil, como Marian Keyes e a Leila Rego. Um dos ícones dessa linha é a famosa série Bridget Jones.”


Nascida no Paraná, hoje radicada no interior de São Paulo, Leila começou a escrever histórias infantis despretensiosas que lia para o filho mais velho. Ela, que nunca sonhou ser escritora, tomou gosto pela literatura e, influenciada por Marian Keyes e Shopie Kinsella, enveredou na chick lit, com obras como “Amigas (im)Perfeitas”, de 2012.


E os homens também têm lugar nesse meio. Nicholas Sparks que o diga. Diferente do best-seller norte-americano, porém, o brasileiro L. Midas não escreveu “Redes Sensuais” pensando no público feminino e acabou surpreendido pela grande quantidade de mulheres lendo sua obra. “Vejo poucos homens em minha página no Facebook. A verdade é que, no mundo todo, as mulheres leem muito mais que os homens.”


Confira:


O Inferno de Gabriel
Sylvain Reynard
(Arqueiro, 512 páginas, R$ 33,90) Primeiro de uma trilogia, explora a sensualidade de uma paixão proibida entre dois amantes que lutam para superar seus infernos pessoais e viver a redenção que somente o verdadeiro amor torna possível. 



Ser Clara
Janaína Rico
(Underworld, 288 páginas, R$ 39,90) Clara, uma jovem de 27 anos, conhece um médico rico e famoso na festa de casamento de sua melhor amiga. Porém, acaba se envolvendo com um colega de adolescência. Até decidir o que quer da vida, enfrentará muitos obstáculos, como uma sogra desesperada e até uma tentativa de assassinato. 



Um Olhar de Amor
Bella Andre
(Novo Conceito, 256 páginas, R$ 29,90) Primeiro volume da série “Hot”, com seis livros que contam histórias ardentes e sensuais de oito irmãos, mostrando que a mulher pode assumir o controle na cama, sem deixar de lado o romantismo. Recentemente foi lançado no Brasil o terceiro volume, “Não Posso 
Me Apaixonar”.



Redes Sensuais
L. Midas
(Pimenta Malagueta, 
547 páginas, R$ 49,90) Voltado para o público adulto, aborda o perigo das redes sociais, com reviravoltas, segredos inconfessáveis e cenas de sexo com riqueza de detalhes.



Amigas (im)perfeitas
Leila Rego
(Gutenberg, 392 páginas, R$ 39,80) Amigas desde os tempos de colégio, Nina, Pâmela e Manuela têm agora uma nova realidade pela frente: largar a adolescência para trás e crescer em meio às angustias dessa nova fase. O término da faculdade e o inicio de uma carreira fazem parte das decisões maduras que a vida está cobrando dessas três amigas inseparáveis. Mas o que elas não imaginavam é que viveriam ainda muitos tropeços e desencontros amorosos.

10 Filmes para Mulheres

Filmes feitos para atingir prioritariamente o público feminino são clássicos do cinema

Não é bem uma categoria, é mais um direcionamento. Muitos filmes são feitos para atingir prioritariamente o público feminino, são os chamados "chick flicks" ou "girly movies". Não significa que os homens não podem ver, curtir e até se emocionar, mas o estúdio estava mesmo pensando nelas. São muitos exemplos, que vou tentar reduzir a 10 e mais algumas menções honrosas. Estejam à vontade para sugerir mais títulos.

1.  
Dirty Dancing, Ritmo Quente (em 1963, uma garota de 17 anos vai passar as férias com sua família num hotel. entediada ela ouve música vindo das dependências dos empregados, descobre uma festa muito mais animada e conhece um professor de dança bonitão - Patrick Swayze nos bons tempos. fez gerações de garotas suspirarem)

2.  
Sex and the City (a série da HBO, criada por Sarah Jessica Parker durou seis temporadas e contava a história de quatro amigas íntimas e suas aventuras amorosas, profissionais e sexuais em Nova York. deu origem a dois longas divertidos. no primeiro, o tema é o favorito das mulheres: o casamento. para meninas pós-yuppies)

3.  
Sissi (este clássico austríaco de 1955 é o primeiro da trilogia composta por 'Sissi, a Imperatriz' e 'Sissi e seu Destino'. estrelada pela jovem e bela Romy Schneider, fez parte dos sonhos das candidatas a cinderela daquela época. conta a história da jovem princesa da Baviera, que acompanha sua irmã mais velha na cerimônia em que esta será apresentada ao noivo, um jovem imperador. mas ele acaba se apaixonando mesmo por Sissie ela por ele... ai, ai...)

4.  
Adoráveis Mulheres (durante a guerra civil americana, uma mãe e suas quatro filhas passam por inúmeras dificuldades, enquanto o pai está na guerra. tendo que virar-se sozinhas, elas crescem independentes e felizes. adaptação de 1994 do clássico da literatura americana, de Louisa May Alcott com um grande elenco)

5.  
Nunca Fui Beijada (Drew Barrymore é a bem sucedida editora de um grande jornal, escalada pelo chefe para reviver seus pesadelos, infiltrando-se em sua velha escola secundária. apesar das dolorosas lembranças ela tem a chance de acertar as contas com o passado e finalmente ser beijada)

6.  
A Garota de Rosa-Shocking (mais conhecido como 'Pretty in Pink', é um dos clássicos de John Hughes. Molly Ringwald é uma garota pobre e fashion - cuidado, são os anos 80! -, que estuda numa escola de ricos e sonha ter um vestido especial para ir ao baile de formatura e arrumar um namorado milionário. tipo... oi? ah, a trilha sonora é épica)

7.  
O Morro dos Ventos Uivantes (baseado no clássico da literatura inglesa de Emily Brontë, conta a história de um viajante que, durante uma tempestade, pede abrigo na casa de uma estranha família. na mesma noite ele pensa ter visto um fantasma e a criada resolve lhe contar a triste história daquela casa. a mãe de todas as novelas de rádio, mas um bom filme, com Laurence Olivier e grande elenco)

8.  
Thelma e Louise (cansadas de suas vidinhas, duas amigas, uma garçonete e uma dona de casa - Susan Sarandon e Geena Davis - decidem jogar tudo para o alto e viajar juntas sem destino. no caminho se envolvem em várias confusões sempre envolvendo os malvados homens, um deles o jovem Brad Pitt no melhor de sua forma. dirigido por Ridley Scott, mas a estrela é o roteiro premiado da feminista Callie Khouri)

9.  
Missão Madrinha de Casamento (uma garota desajeitada disputa o privilégio de ser madrinha de casamento de sua melhor amiga com a rica e esnobe nova amiga dela. acompanhada das damas de honra, ela obviamente vai fazer tudo errado. uma resposta feminina ao "dudes-flick" 'Se Beber não Case')

10.  
O Diário de Bridget Jones (Renée Zellweger é uma inglesa solteira de trinta e poucos anos que resolve escrever um diário, onde expõe com sinceridade suas qualidades, defeitos, a luta com a balança, as bebidas e os cigarros, procurando melhorar. em busca do homem perfeito, acaba sendo disputada por dois. simpático e divertido, teve uma continuação e deve ganhar mais uma)

Mais

Confira abaixo

CONTO "LEI MARIA DA PENHA", DE CLEIBSON FREITAS

POEMA "DOM FEMININO", DE JOCILANE RUBERT

CRÔNICA "O UNIVERSO DA MULHER", DE ANAXIMANDRO AMORIM

Este post é dedicado a minha mãe, minha esposa Elaine e a todas as nossas leitoras "sem vocês (mulheres) não somos nada".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário